20180928220830302.jpg

1 de outubro de 2018by Administrador0

Realizar experimentos científicos é a oportunidade ideal para colocar em prática todo o conhecimento que é visto em sala de aula! Nem todas as experiências químicas são perigosas, e é possível aprender muito com essa matéria em casa, com materiais que nem imaginávamos. Conhecimento nunca é demais, principalmente quando é possível entender na prática o que acontece com a química. Mas importante: não se esqueça de sempre realizar os experimentos na presença de um adulto!

Experiência 1 – Balão

Ingredientes

  • Garrafa pet
  • Bexiga
  • Vinagre
  • Bicarbonato de sódio

Como fazer

Coloque vinagre em uma garrafa pet limpa. Dentro da bexiga, coloque algumas colheres de bicarbonato de sódio. Prenda o bico da bexiga no gargalo da garrafa de modo que o bicarbonato caia ali dentro. Veja a mágica acontecer… A bexiga se encherá sozinha! Ou melhor, por meio da reação química entre o vinagre e o bicarbonato.

Explicação

Essa experiência é baseada na reação entre ácido e base. O ácido do vinagre, também conhecido como ácido acético, reage com o bicarbonato de sódio, formando o ácido carbônico. Devido à reação, o ácido citado anteriormente se transforma em dióxido de carbono, o famoso CO2. É o CO2 liberado na reação que enche a bexiga.

Experiência 2 – Lâmpada de lava

Ingredientes

  • Pote transparente
  • Óleo
  • Água
  • Corante alimentício
  • Comprimido efervescente antiácido

Como fazer

Misture a água com o corante. Pegue o recipiente transparente, encha com a água com corante e o óleo: para cada medida de água deverá ser acrescentada duas de óleo. Quando a mistura estiver estável, ou seja, sem bolhas, deverá ser colocado o comprimido efervescente antiácido. O resultado é parecido com aquelas lâmpadas de lava. Fica bem legal!

Explicação

A primeira explicação para esse experimento é que a água e o óleo são uma mistura heterogênea, ou seja, apresentam mais de uma fase. O óleo é menos denso que a água, por isso fica na parte de cima quando ambos são misturados. Quando o efervescente antiácido é acrescentado, libera CO2 (gás carbônico), que como é mais leve que a água e que o óleo, “flutua”. Como está misturado à água, algumas partículas sobem com as bolhas do gás, dando assim o efeito de lâmpada de lava.

Experiência 3 – Areia movediça

Ingredientes

  • Recipiente de vidro
  • 1 caixa de amido de milho (maisena)
  • 2 copos de água

Como fazer

Em um recipiente de vidro, misture 3 copos de amido de milho e 1 de água por aproximadamente 5 minutos. Ao final, deve haver uma mistura homogênea grossa.

Explicação

Essa mistura age tanto quanto líquido, quanto como sólido. Isso acontece porque a mistura de amido de milho e água forma uma mistura conhecida como “não newtoniana”. Esse termo explica a  capacidade que o líquido (ou sólido) tem de acordo com a pressão que é exercida sobre ele. Quando sofre uma pressão grande, fica duro como se fosse sólido, já sem pressão alguma, fica líquido.

Experiência 4 – Pilha de limão

Ingredientes

  • 1  limão.
  • 1 moeda de 5 centavos.
  • 1 colchete de escritório ou 1 prego.
  • 2 fios elétricos com garra de jacaré.
  • Uma lâmpada pequena de LED.

Como fazer

Faça dois cortes no limão. Um deles servirá para o prego e o outro, para a moeda. Após feitos os cortes e inseridos os materiais no limão, é preciso conectar os fios com garras de jacaré em cada um dos metais, ou seja, no prego e na moeda. É utilizado um fio para cada metal, de modo que uma das extremidades de cada um fique livre. As pontas que ficaram livres, conecte à lâmpada de LED.

Explicação

Essa experiência é semelhante a uma pilha estudada em eletroquímica. As pilhas são definidas como uma reação espontânea, na qual a energia química se transforma em energia elétrica. O limão é um elemento eletrolítico, ou seja, possui cargas positivas e negativas. O prego perde elétrons (oxida) e a moeda age como o polo positivo que recebe elétrons. Assim como em uma pilha de verdade, o limão faz a função do eletrólito, e os metais, o papel de eletrodos, resultando na geração de energia.

Experiência 5 – Mudança instantânea de cor

Ingredientes

  • 40ml de água
  • 20ml de vinagre branco
  • 20ml de água oxigenada de 20 vol.
  • 1 comprimido de permanganato de potássio

Como fazer

Dissolva o comprimido de permanganato de potássio na água até que fique uma mistura homogênea. Adicione o vinagre e misture. O último passo é colocar a água oxigenada. Observe a mudança de cor que ocorre com os elementos.

Explicação

A mudança de cor ocorre devido à transformação que os elementos químicos sofrem depois de misturados. Essa alteração normalmente é resultado de reações em que há transferência de elétrons, formando assim cátions que alteram as cores originais de cada elemento.

A química é uma área da ciência que surpreende e fascina os alunos. Mesmo que ainda tenha muito o que ser descoberto, é possível viajar nesse mundo cheio de surpresas. As experiências científicas são uma ótima forma de se aprofundar nas matérias de maneira simples e divertida. Aprender não está resumido apenas à sala de aula, mas viagens, experiências e diversas outras maneiras alternativas de estudar também são sempre muito válidas!

Aqui estudar é poder!

Seu sonho é estudar em uma boa universidade? Venha para o COC! Aqui estudar é poder realizar. Acompanhe as notícias em nosso blog e aproveite todos os benefícios que o sistema COC de ensino pode trazer para os seus estudos. Saiba mais aqui!


Redimensiona-1.jpg

9 de fevereiro de 2018by Administrador0

Na hora de estudar, muitos alunos enfrentam problemas para se concentrar e não fazem o que precisam no tempodeterminado – o que frustra muitos jovens no final do dia.  Segundo a Lei de Parkinson, “o trabalho se expande de modo a preencher o tempo disponível para a sua realização”. Isso significa que se nós temos o dia todo para terminar uma tarefa que duraria em média uma hora, ao invés de fazê-la em uma hora, nossa tendência é demorar o dia todo. Se trata de um costume que deve ser evitado. Confira a seguir algumas dicas para evitar esse erro.

Faça uma coisa de cada vez

Faça uma tarefa ou estude um assunto por vez. Tentar fazer várias coisas ao mesmo tempo não permite que você realize corretamente cada atividade. Algumas vezes será necessário mais tempo para rever algumas coisas por não ter focado em uma única atividade.

Feche as redes sociais

Deixar as redes sociais abertas ou o celular à vista é uma oportunidade de distração. Sabemos que uma notificação é capaz de nos fazer perder muitos minutos e até mesmo horas. Para evitar esse tipo de situação, permita-se fazer pequenos intervalos para checar o celular e controle-se para não demorar mais que o necessário.

Cuidado com o Google

Por mais que você precise do Google enquanto estuda ou trabalha, fique ciente de que é fácil perder a concentração no que está fazendo para pesquisar informações desnecessárias. Parar uma tarefa para fazer outra no lugar atrapalha a concentração e faz com que você perca um tempo valioso.

Defina o que é prioridade

É importante diversificar as atividades para não ter a sensação que está fazendo sempre a mesma coisa. Porém, se perder o foco no que deve ser feito primeiro, provavelmente ficará perdido em meio a tantas atividades e esquecerá porque estava fazendo algumas coisas. Por isso, defina quais são as tarefas mais importantes, o que deve ser feito primeiro e qual o tempo estimado para cada uma. Lembre-se que deixar as coisas mais importantes e urgentes para depois, corre o risco de não concluir.

Fonte:super.abril.com.br/blog/como-pessoas-funcionam/5-habitos-que-voce-precisa-abandonar-se-quiser-fazer-mais-coisas-uteis-no-seu-dia


Redimensiona.jpg

9 de fevereiro de 2018by Administrador0

As aulas de ciências são uma das melhores oportunidades para inovação na escola. A disciplina já possui um carácter experimental, partindo disso é possível engajar os alunos com algumas práticas que utilizam ferramentas tecnológicas, agregando conhecimentos e experiências no desenvolvimento escolar das crianças e adolescentes. É uma excelente maneira de fazer os alunos se envolverem mais com os estudos.

Simulados virtuais

Algumas práticas são difíceis ou impossíveis de serem realizadas em sala de aula ou então para os alunos verem de perto. A tecnologia de realidade virtual e outras simulações feitas virtualmente resolvem esse problema, além de permitirem que a turma veja a aplicação do que aprenderam em teoria.

Engana-se quem pensa que precisa de uma estrutura complicada para realizar simulações virtuais, muitas vezes só basta um computador. Por exemplo, a Universidade do Colorado Boulder possui um site, o PhET (https://phet.colorado.edu/pt_BR), com várias simulações em português, tratando de temas como atomística, radioatividade, osmose, frações, entre outros. A UFSC – Universidade Federal de Santa Cataria – também oferece um site com experimentos remotos, além de possibilitar que o professor ou alunos criem seus próprios experimentos, o site se chama RexLab (http://relle.ufsc.br/labs).

STEM

O STEM é uma metodologia baseada em projetos que mistura a aplicação de conceitos de ciências, tecnologia, engenharia e matemática. Há ainda o STEM, sua utilidade é para quando habilidades em artes são necessárias para a execução do projeto. Os dois sistemas propõem que os alunos coloquem “a mão na massa” e façam seus próprios projetos ou equipamentos de laboratório. Um exemplo é que os estudantes construam seus próprios microscópio usando o celular.

Minecraft

O Minecraft é um jogo baseado em blocos e criatividade. Algumas das possibilidades é trabalhar o conceito da construção de uma cidade sustentável ou então fazer com que os alunos construam biomas virtualmente, para isso será necessário que eles entendam as características dos biomas para poder aplicar.

Por se tratar de um jogo em que as crianças e adolescentes podem facilmente se distrair, é fundamental que exista uma intencionalidade pedagógica e o acompanhamento do professor. Será preciso planejar como a atividade será realizada, o tempo estimado, etc.

Fonte: www.info.geekie.com.br/aulas-de-ciencias


2015071517404743-1280x333.jpg

24 de março de 2017by Administrador0

Pensando sempre no futuro

É do nascimento aos seis anos de idade que ocorre grande parte do desenvolvimento da criança e de sua inteligência, nos níveis racional e emocional, o que determina sua capacidade de aprender. Por isso, o Sistema COC de Ensino parte de propostas multimetodológicas e lúdicas para estimular a criança de forma adequada, integrando aspectos cognitivos e sociais e orientando-a nessa fase decisiva para que trabalhe com todas as áreas do conhecimento de forma integrada.

Material Didático

A coleção infantil do Sistema COC de Ensino traz uma proposta inovadora, com a estética atual das ilustrações e o embasamento nos principais autores e nas mais sofisticadas e comprovadas teorias de Educação Infantil.

Dessa maneira, a Coleção Explorar estabelece pontes entre aquilo que a criança já conhece e as experiências vividas na escola, e promove aprendizagens dinâmicas que contribuirão de forma única para a construção de conhecimentos verdadeiramente significativos.