Redimensiona-1.jpg

9 de fevereiro de 2018by Administrador0

Na hora de estudar, muitos alunos enfrentam problemas para se concentrar e não fazem o que precisam no tempodeterminado – o que frustra muitos jovens no final do dia.  Segundo a Lei de Parkinson, “o trabalho se expande de modo a preencher o tempo disponível para a sua realização”. Isso significa que se nós temos o dia todo para terminar uma tarefa que duraria em média uma hora, ao invés de fazê-la em uma hora, nossa tendência é demorar o dia todo. Se trata de um costume que deve ser evitado. Confira a seguir algumas dicas para evitar esse erro.

Faça uma coisa de cada vez

Faça uma tarefa ou estude um assunto por vez. Tentar fazer várias coisas ao mesmo tempo não permite que você realize corretamente cada atividade. Algumas vezes será necessário mais tempo para rever algumas coisas por não ter focado em uma única atividade.

Feche as redes sociais

Deixar as redes sociais abertas ou o celular à vista é uma oportunidade de distração. Sabemos que uma notificação é capaz de nos fazer perder muitos minutos e até mesmo horas. Para evitar esse tipo de situação, permita-se fazer pequenos intervalos para checar o celular e controle-se para não demorar mais que o necessário.

Cuidado com o Google

Por mais que você precise do Google enquanto estuda ou trabalha, fique ciente de que é fácil perder a concentração no que está fazendo para pesquisar informações desnecessárias. Parar uma tarefa para fazer outra no lugar atrapalha a concentração e faz com que você perca um tempo valioso.

Defina o que é prioridade

É importante diversificar as atividades para não ter a sensação que está fazendo sempre a mesma coisa. Porém, se perder o foco no que deve ser feito primeiro, provavelmente ficará perdido em meio a tantas atividades e esquecerá porque estava fazendo algumas coisas. Por isso, defina quais são as tarefas mais importantes, o que deve ser feito primeiro e qual o tempo estimado para cada uma. Lembre-se que deixar as coisas mais importantes e urgentes para depois, corre o risco de não concluir.

Fonte:super.abril.com.br/blog/como-pessoas-funcionam/5-habitos-que-voce-precisa-abandonar-se-quiser-fazer-mais-coisas-uteis-no-seu-dia


Redimensiona.jpg

9 de fevereiro de 2018by Administrador0

As aulas de ciências são uma das melhores oportunidades para inovação na escola. A disciplina já possui um carácter experimental, partindo disso é possível engajar os alunos com algumas práticas que utilizam ferramentas tecnológicas, agregando conhecimentos e experiências no desenvolvimento escolar das crianças e adolescentes. É uma excelente maneira de fazer os alunos se envolverem mais com os estudos.

Simulados virtuais

Algumas práticas são difíceis ou impossíveis de serem realizadas em sala de aula ou então para os alunos verem de perto. A tecnologia de realidade virtual e outras simulações feitas virtualmente resolvem esse problema, além de permitirem que a turma veja a aplicação do que aprenderam em teoria.

Engana-se quem pensa que precisa de uma estrutura complicada para realizar simulações virtuais, muitas vezes só basta um computador. Por exemplo, a Universidade do Colorado Boulder possui um site, o PhET (https://phet.colorado.edu/pt_BR), com várias simulações em português, tratando de temas como atomística, radioatividade, osmose, frações, entre outros. A UFSC – Universidade Federal de Santa Cataria – também oferece um site com experimentos remotos, além de possibilitar que o professor ou alunos criem seus próprios experimentos, o site se chama RexLab (http://relle.ufsc.br/labs).

STEM

O STEM é uma metodologia baseada em projetos que mistura a aplicação de conceitos de ciências, tecnologia, engenharia e matemática. Há ainda o STEM, sua utilidade é para quando habilidades em artes são necessárias para a execução do projeto. Os dois sistemas propõem que os alunos coloquem “a mão na massa” e façam seus próprios projetos ou equipamentos de laboratório. Um exemplo é que os estudantes construam seus próprios microscópio usando o celular.

Minecraft

O Minecraft é um jogo baseado em blocos e criatividade. Algumas das possibilidades é trabalhar o conceito da construção de uma cidade sustentável ou então fazer com que os alunos construam biomas virtualmente, para isso será necessário que eles entendam as características dos biomas para poder aplicar.

Por se tratar de um jogo em que as crianças e adolescentes podem facilmente se distrair, é fundamental que exista uma intencionalidade pedagógica e o acompanhamento do professor. Será preciso planejar como a atividade será realizada, o tempo estimado, etc.

Fonte: www.info.geekie.com.br/aulas-de-ciencias