06457168-a11d-47bb-9a66-1e935490b97f.jpg

11 de setembro de 2019by Administrador0

Cozinha Willy Janz

Quando falamos de crianças e adolescentes, vemos que é nessa fase que são incorporados hábitos alimentares que vão permanecer por toda a vida por isso a escola Willy Janz se preocupa com essa questão. A cozinha Willy Janz tem o cuidado de utilizar alimentos e preparações caseiras, como: sucos in natura ou polpa de frutas, iogurte natural, manteiga, farinhas de: linhaça, arroz, maracujá, amêndoas; Açúcar mascavo e/ou demerara; entre outros, e sempre com a supervisão do nutricionista responsável e seguindo um cardápio com princípios de quantidade, qualidade harmonia e adequação, pois muitos dos hábitos incentivados na infância permanecerão.

A área de preparo e armazenamento da cozinha estão de acordo com as normas estabelecidas na RDC º216, órgão emissor: ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Essas vigências abrangem atividades como: Estabelecer procedimentos de Boas Práticas para serviços de alimentação a fim de garantir as condições higiênico-sanitárias do alimento preparado, controle integrado de vetores e pragas urbanas, a manutenção e higienização das instalações, dos equipamentos e dos utensílios, o controle da água de abastecimento, a capacitação profissional, o controle da higiene e saúde dos manipuladores, o manejo de resíduos e o controle e garantia de qualidade do alimento preparado (como coleta de amostras das preparações, e controle de temperatura de balcões e refrigeradores).

Temos alimentação completa para os alunos do período  integral e também contratações de lanches mensais para alunos do meio período.

 

Responsável pela cozinha Willy Janz
Rafaela Biazotto – Nutricionista  CRN 8 – 10190


post_img.jpg

10 de julho de 2019by Administrador0

Nosso objetivo como escola é garantir ensino e oportunidade, para que isso ocorra a relação saudável entre família e escola, é de extrema importância.

Acreditamos que a interação entre família e escola deve deslocar-se na direção de uma aliança. O incremento da aprendizagem é um efeito natural e lógico resultante desta relação harmoniosa.


Redimensiona.jpg

9 de fevereiro de 2018by Administrador0

As aulas de ciências são uma das melhores oportunidades para inovação na escola. A disciplina já possui um carácter experimental, partindo disso é possível engajar os alunos com algumas práticas que utilizam ferramentas tecnológicas, agregando conhecimentos e experiências no desenvolvimento escolar das crianças e adolescentes. É uma excelente maneira de fazer os alunos se envolverem mais com os estudos.

Simulados virtuais

Algumas práticas são difíceis ou impossíveis de serem realizadas em sala de aula ou então para os alunos verem de perto. A tecnologia de realidade virtual e outras simulações feitas virtualmente resolvem esse problema, além de permitirem que a turma veja a aplicação do que aprenderam em teoria.

Engana-se quem pensa que precisa de uma estrutura complicada para realizar simulações virtuais, muitas vezes só basta um computador. Por exemplo, a Universidade do Colorado Boulder possui um site, o PhET (https://phet.colorado.edu/pt_BR), com várias simulações em português, tratando de temas como atomística, radioatividade, osmose, frações, entre outros. A UFSC – Universidade Federal de Santa Cataria – também oferece um site com experimentos remotos, além de possibilitar que o professor ou alunos criem seus próprios experimentos, o site se chama RexLab (http://relle.ufsc.br/labs).

STEM

O STEM é uma metodologia baseada em projetos que mistura a aplicação de conceitos de ciências, tecnologia, engenharia e matemática. Há ainda o STEM, sua utilidade é para quando habilidades em artes são necessárias para a execução do projeto. Os dois sistemas propõem que os alunos coloquem “a mão na massa” e façam seus próprios projetos ou equipamentos de laboratório. Um exemplo é que os estudantes construam seus próprios microscópio usando o celular.

Minecraft

O Minecraft é um jogo baseado em blocos e criatividade. Algumas das possibilidades é trabalhar o conceito da construção de uma cidade sustentável ou então fazer com que os alunos construam biomas virtualmente, para isso será necessário que eles entendam as características dos biomas para poder aplicar.

Por se tratar de um jogo em que as crianças e adolescentes podem facilmente se distrair, é fundamental que exista uma intencionalidade pedagógica e o acompanhamento do professor. Será preciso planejar como a atividade será realizada, o tempo estimado, etc.

Fonte: www.info.geekie.com.br/aulas-de-ciencias


Redimensiona.jpg

30 de março de 2017by Administrador0

Recentemente um comercial realizou um experimento com pais de alunos e mostrou os resultados do acompanhamento da família nos estudos de crianças e adolescentes. Enquanto os alunos do 4º ano realizavam uma prova, os pais estavam em outra sala e foram comunicados que realizariam a mesma prova. O vídeo mostra a reação de preocupação de alguns pais por não terem contato com os conteúdos há muito tempo.

O resultado: entre as melhores notas estavam os pais que revelaram estudar junto com as crianças. Isso não está relacionado com o nível de conhecimento dos pais, mas sim com o acompanhamento e atenção que dedicam aos estudos dos filhos.

A experiência traz à tona uma reflexão importante e sempre comentada no ambiente educacional: a importância da presença dos pais na vida escolar das crianças e adolescentes. Não se trata dos estudantes terem uma espécie de aula reforço com os pais, mas sim receberem acompanhamento, motivação e algumas cobranças necessárias.

Os estudos não se limitam as quatro paredes da sala de aula. Os alunos devem aproveitar ao máximo o período que passam na escola, mas o tempo de aprendizado se estende até em casa com revisões, pesquisas, lição de casa, preparo para provas, etc. Nesse processo, o incentivo e apoio dos pais é uma peça fundamental. Afinal, são eles que sempre estão em contato com os filhos e possuem um grande poder de influência para mostrar a importância da educação e o valor da escola para a vida deles.

Uma pesquisa identificou cinco perfis de pais brasileiros em relação a educação das crianças. A pesquisa entrevistou 2.002 responsáveis por alunos entre 4 e 17 anos, das redes públicas e privada de ensino.

Comprometidos: São os que mais se destacam na valorização escolar e no vínculo com a criança. Por exemplo, é o perfil que participa das reuniões e dos eventos escolares com maior assiduidade. Eles buscam informações sobre a escola, estabelecem parceria com outros pais e professores e apoiam os filhos na rotina.

Envolvidos: Os que praticam mais ações de valorização do que de vínculo e, portanto, destacam-se por acompanhar a rotina escolar do filho. Ao mesmo tempo, apresentam um ambiente familiar menos propício ao diálogo e um relacionamento menos próximo com a criança. Entre eles, 87% acreditam que, se a criança estudar, terá uma vida melhor que a dele e 79% conferem se o filho estudou para as provas.

Intermediários: São aqueles que obtiveram uma média de respostas, tanto em relação ao vínculo quanto à valorização. Os dados revelam que 70% conferem se o filho faz as lições de casa e 67% olham os cadernos, livros e apostilas.

Vinculados: Exibem um comportamento mais ligado ao vínculo com a criança do que com a valorização da Educação. São responsáveis que dialogam frequentemente com os filhos, mas não acompanham tão incisivamente a rotina escolar. Os dados mostram que 95% dos vinculados afirmam estar presentes nos momentos mais importantes da vida da criança.

Distantes: São os que apresentam o conjunto de respostas com grau mais baixo de vínculo e valorização. Esses entrevistados não se relacionam com outros pais e com a escola e dialogam pouco com as crianças e jovens. É o grupo que tem menor assiduidade nas reuniões e eventos escolares.

Fonte da pesquisa:

www.todospelaeducacao.org.br/reportagens-tpe/31839/pesquisa-revela-perfis-de-pais-em-relacao-a-educacao-dos-filhos


2015071517404743-1280x333.jpg

24 de março de 2017by Administrador0

Pensando sempre no futuro

É do nascimento aos seis anos de idade que ocorre grande parte do desenvolvimento da criança e de sua inteligência, nos níveis racional e emocional, o que determina sua capacidade de aprender. Por isso, o Sistema COC de Ensino parte de propostas multimetodológicas e lúdicas para estimular a criança de forma adequada, integrando aspectos cognitivos e sociais e orientando-a nessa fase decisiva para que trabalhe com todas as áreas do conhecimento de forma integrada.

Material Didático

A coleção infantil do Sistema COC de Ensino traz uma proposta inovadora, com a estética atual das ilustrações e o embasamento nos principais autores e nas mais sofisticadas e comprovadas teorias de Educação Infantil.

Dessa maneira, a Coleção Explorar estabelece pontes entre aquilo que a criança já conhece e as experiências vividas na escola, e promove aprendizagens dinâmicas que contribuirão de forma única para a construção de conhecimentos verdadeiramente significativos.